“É surpreendente a frequência com que as pessoas que procuram um tratamento analítico para a histeria ou uma neurose obsessiva, confessam haver-se abandonado à fantasia: ‘Uma criança é espancada’. É muito provável que haja exemplos ainda mais frequentes em um número muito maior de pessoas que não foram obrigadas a procurar análise por causa de uma doença manifesta.“
FREUD, S. “Uma criança é espancada”.

Neste texto, Freud anuncia que está tratando de algo que é da estrutura do ser falante. Com Lacan, dizemos tratar-se da estrutura do sujeito que entra no campo da linguagem como um objeto que sofre o açoite do significante.

O gozo no fantasma neurótico, tendo como referência o gozo perverso, se articula àquilo que Freud colocou como o inconfessável do fantasma, ligado ao sentimento de culpabilidade. O inconfessável é o ponto de não acessibilidade e está relacionado ao que Freud nomeou ‘cicatriz do Complexo de Édipo’.

 

Bibliografia:
Freud, S. “Fantasias histéricas e sua relação com a bissexualidade” (1908)

__ “Romances familiares” (1909)
__ “Uma recordação de infância de Dichtung und Wahrheit”(1917)
__ “Uma criança é espancada: uma contribuição ao estudo da origem das perversões sexuais” (1919).
Lacan, J. Seminário O desejo e sua interpretação (1959)
__ Seminário A lógica do fantasma (1967)
__ Seminário A identificação, lição de 2/05/62
__ Seminário Les non-dupes errent, lição de 11/06/74
Nabokov V. Lolita

 

Arlete Garcia

Início: 01 de abril
Quartas-feiras às 9h (quinzenal)