O que causa a experiência da Escola é a Psicanálise enquanto se faz presente por seus efeitos no mundo.

Uma clínica, por estar aberta ao público, afirma-se como uma das formas de a Escola assegurar a dobradiça intensão e extensão.

A Clínica da Letra, sustentada pelos membros que se declaram analistas praticantes frente à Escola, assume um compromisso ético com aqueles que desejam ser escutados na particularidade do seu mal-estar, seja criança, adolescente ou adulto.

Quando Lacan diz que “a Psicanálise é o melhor que temos atualmente para se ter alguma paciência com essa situação incômoda de ser homem” nos indica que não há como ignorar o poder da palavra, já que ela tem efeitos no campo da linguagem.

A partir da experiência, na especificidade do discurso analítico, podemos verificar como esse poder da palavra se efetua na análise.

Os nomes dos analistas estão disponíveis no site e na secretaria da Escola, para que uma escolha seja possível.

Maria Cecília Amorim

Função do Colegiado: Ensino e Transmissão.
Informações na Secretaria
Tel.: (21) 2522-3877

Lista de Membros da ‘Clínica da Letra’

Reunião de Trabalho Clínico

A Reunião de Trabalho Clínico funciona na Escola desde 1992 e passou a constar da Ata de 1998 como um dos lugares da Clínica na Escola. Esse dispositivo possibilita um dizer sobre o desejo do analista e a lógica da direção da cura. A discussão da clínica permite decantar traços de uma análise e fazer passar uma experiência do privado ao público sob o marco de uma transferência de trabalho, experiência que visa enodar algo da intensão com a extensão.

Esse dispositivo se formaliza quanto ao seu funcionamento:

· Aberto a todos os membros que desejem participar;
· É desejável que se reúnam em número de 9, podendo variar entre 7 e 10 componentes;
· A função de menos um deve ser exercida por um dos membros da reunião, fazendo funcionar o coletivo, onde o (-1) marca algo do descompletamento e faz enlace com a Escola;
· Esse trabalho de Escola não se confunde com o espaço de uma supervisão;
· No momento de concluir, um escrito sobre a experiência deverá passar à Escola.

Função do Colegiado: Dispositivo de Escola.

Secção Clínica

É na passagem do privado ao público, por meio de um escrito, que alguns significantes do caso clínico são transmitidos através do estilo de cada analista. A escrita do analista parte do real de sua prática, daquilo que, nas voltas dos ditos, vai produzindo o enlace dos registros R.S.I.. Nesse lugar, cada analista se confronta com o que é possível/impossível transmitir da experiência psicanalítica.
A Secção Clínica é um lugar de interlocução destinado aos membros e participantes da Escola.

Maria Cecília Amroim

Função do Colegiado: Ensino e Transmissão.
Última terça-feira de cada mês às 13h30.