Nº0” Documentos para uma Escola III – Um percurso de vinte anos

Fazer escola é um fazer-se. Esta publicação, disto, dá testemunho – um percurso de vinte anos...

Apresentação

Fazer escola é um fazer-se. Esta publicação, disto, dá testemunho – um percurso de vinte anos.

Em seus primórdios a Letra Freudiana debruçou-se sobre o tema da transferência, formaram-se diversos cartéis e depois de um certo tempo de funcionamento, em 1984, apresentou-se numa jornada o resultado desse trabalho – a produção de cada um.

Parece que ao visar a transferência, abordando-a numa estrutura de cartel, imprimiu-se um estilo, marca desta Escola, onde a transferência de trabalho se evidencia na produção de escritos.

Esta revista, de nº0'' soma-se às de nº0 e 0' desta série fora série, e às vinte e oito já publicadas, atestando o compromisso da Letra Freudiana com a transmissão da psicanálise.

Os números 0, de circulação interna, devem-se ao desejo de ter em mãos os textos de Lacan sobre Escola de modo a poder trabalhá-los e, então, elaborar documentos a partir de uma experiência original. Nesta intenção põe-se em circulação a Ata da Escola Letra Freudiana de 1998 e o "Procedimento para o passe da E.L.F.".

Publicam-se, ainda, dois textos raros de Lacan: a "Nota sobre a escolha dos passadores" e a versão oral do "Discurso à E.F.P.".

Com esses quatro textos conclui-se uma etapa da série Documentos, testemunho dos cortes necessários em uma direção lacaniana de fazer escola, onde tempo e ato se presentificam.

Há o ato de fundação, 1981, em que se instaura um laço inédito entre aqueles que manifestam um desejo de ler a letra e o texto de Freud e Lacan articulando sua prática a um saber textual. O dispositivo do cartel traz a novidade, em nosso meio, de um modo de produção em psicanálise, onde, prescindindo de mestria, o engajamento de cada um se faz no ponto de particularidade de seu desejo. A experiência renovada do cartel que se sustenta com vigor até nossos dias – como provam os quatro trabalhos que fazem parte desta publicação – determinam um modo de transmissão regrado pela dimensão da falta, pois, os cartéis fazem rede que não se fecha em uma organização.

Como efeito da experiência acumulada em que transmissão e ensino foram atravessados por questões clínicas e problemas cruciais da psicanálise, na temporalidade devida, em 1987, dá-se o ato e o passo à Escola. Nessa passagem a Escola entende que a formação, permanente, do analista em como base o ensino textual e a produção escrita. Compromisso sempre renovado como se lê nos textos sobre biblioteca e escrito.

O ensino e o cartel articulados mantiveram o lugar e a função da falta no âmbito institucional. Os textos sobre a prática da psicanálise, ensino e transmissão, transferência de trabalho e gestão de uma escola, atestam uma forma de elaboração e escritura das questões com que se defrontam analistas causados pela psicanálise.

A Ata de 1998 instaura o passe, uma experiência em andamento, na qual o desejo do analista se põe à prova. Dele depende o porvir da psicanálise e essa é a aposta da Escola.

Sumário

  • Documentos da Escola Letra Freudiana de 1998
    • Ata da Escola Letra Freudiana de 1998
    • Documento para o procedimento do Passe na Escola Letra Freudiana
             Comissão do Passe
  • Lacan e a Escola
    • Nota sobre a escolha dos passadores
              Jacques Lacan / Tradução: Analucia Teixeira Ribeiro
    • Discurso de Jacques Lacan aos AE e AME da École Freudienne de Paris, em 6 de dezembro de 1967 (versão oral)
              Tradução: Analucia Teixeira Ribeiro
  • Um percurso de vinte anos
    • Da responsabilidade de um escrito para a Escola
              Rossely S. M. Peres
    • Os paradoxos da biblioteca
              Andréa B. do Prado Bastos Tigre / Eduardo Vidal / Rossely S. M. Peres
    • Psicanálise em intensão e em extensão
              Eduardo Vidal
    • Transferência de trabalho e transmissão da psicanálise
              Ana Lucia Zacharias / Eduardo Vidal / Elisabeth Tolipan
    • Sobre o ensino na Escola - Parte I
              Nilza Ericson
    • Sobre o ensino na Escola - Parte II
              Maria Cristina Vecino de Vidal
    • Desejo do analista na formação
              Ana Lucia Zacharias
    • "A psicanálise é uma prática": um dizer de Lacan
              Andréa B. do Prado Bastos Tigre / Diana Lidia Mariscal
    • "Des-Ser" analista
              Fátima Vahia de Abreu
    • A gestão de uma Escola
              Nestor Lobo Lima Vaz
    • Cartel - cardo, gonzo e dobradiça
              Maria Lessa de Barros Barreto
    • Cartel na Escola
              Dalmara Abla
    • A função dos cartéis na Escola
              Ana Lúcia de Souza
    • Corte e descolagem
              Miriam Chor Blanck

Mais documentos

Nº0 Documentos para uma Escola

Textos "de trabalho", que não convocam a outra coisa senão a... um trabalho, cujo resto terá sido nossa produção.

Nº0′ Documentos para uma Escola II – Lacan e o Passe

Reunimos nesta publicação textos sobre a instituição psicanalítica e a escola de psicanálise...

Nº0” Documentos para uma Escola III – Um percurso de vinte anos

Fazer escola é um fazer-se. Esta publicação, disto, dá testemunho – um percurso de vinte anos...

Nº0”’ Documentos para uma Escola IV – O que é a Escola?

Nas páginas a seguir, o leitor encontrará respostas diversas e parciais, seja em documentos elaborados a partir da experiência e da gestão da Escola...

Nº0”” Documentos para uma Escola V – O passe em andamento

A Jornada sobre o Passe realizada em 5 de junho de 2009 marcava dez anos da experiência do passe na Escola Letra Freudiana...

Nº0””’ Documentos para uma Escola VI – A terceira: uma Escola para a psicanálise

Do momento de fundação a um percurso de 35 anos, a serem completados em agosto de 2016...